segunda-feira, 10 de abril de 2006

Estou indo embora

Ninguém sente essa dor como eu sinto
Se sente também não me interessa nesse momento
Tudo o que eu quero é pular num poço sem fundo
E acabar logo com esse tormento

Ninguém me entende, ninguém entende a tristeza que sinto
Para todos os lados em que olho não vejo solução
Uma vida que já foi desperdiçada até agora
Não fará mais diferença

Para quê continuar se não consigo acertar
Dar corda à vida é continuar errando
Para me enforcar logo depois
Chega de trilhar esse caminho, chega de esperança

5 comentários:

Mauro Castro disse...

Que pena, hein?!
Há braços!!

Natty disse...

POxa, belas e tristes palavras...
Assim eh a vida..com altos e baixos..as vezes mais baixos do que altos..mas seguindo sempre em frente e não na direção contrária!
c cuida
bjus

G disse...

Passei horas e horas lendo todo o seu blog e não poderia expressar nada além do que PERFEITO, espero que não abandone-o, gostaria muito de ler mais e principalmente saber mais sobre vc, será possível?

Almir 47 disse...

Achei oportuno o texto, mas esse "ninguém me entende" não ficou bem colocado, eu te entendo sim...

Nanda Sales disse...

é uma pena para nós leitores...tanto talento para escrever tantas palavras bonitas com um final tão clichê, tão fora do contexto de uma talentosa "quase balzaquiana", espero que essa fase triste tenha passado, e em breve você volte a nos presentear com seus belos textos.

bjos